Mônica Campelo da Silva Rocha, coaching e mentoring em saúde alimentar

 

Emagrecer não é parar de comer e sim, mudar os hábitos alimentares. O programa saudável na vida consiste em ajudar a mudar o estilo de vida de uma forma saborosa e com prazer. A Low carb, dieta elaborada para perder peso, tem por objetivo reduzir o consumo de carboidratos ingeridos, que representam a maior parte da alimentação das pessoas no dia a dia.

No ano de 2000, a low carb foi elaborada de forma estratégica por mostrar cada vez mais eficácia na perda de peso e na regulação dos mecanismos voltados ao controle de glicemia. Com o passar dos anos, tem conquistado fama por substituir os macros nutrientes (fontes de calorias encontradas nas massas, pães, farinhas, açúcares, refrigerantes e doces) por gordura saudável, alimentos orgânicos e livres de conservantes.

Os maus hábitos alimentares, a preferência por fast foods e alimentos processados tem gerado um aumento de quase 20% nos índices de obesidade e sobrepeso da população brasileira. Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas em 18/06/2018 e foram divulgados pelo Ministério da Saúde. O consumo excessivo desses alimentos, vem preocupando boa parte da família brasileira, pois com o ganho de peso tem aumentado o número de pessoas com diabetes e outras doenças crônicas. Além disso, esses problemas afetam consequentemente o lado emocional gerando problemas de baixa estima, depressão, ansiedade e o desejo de comer mais.

A procura por dietas com o objetivo de um corpo perfeito tem sido frustrante, pois fechar a boca, passar fome, comer de 3 em 3 horas, tudo isso sem um acompanhamento profissional; desmotiva as pessoas levando-as a desistirem do seu objetivo.  O programa saudável na vida – low carb, não proíbe de comer e nem impõe a comer a cada 3 horas, ele ensina a comer bem e de forma saudável.


De acordo com Mônica Campelo da Silva Rocha, coaching e mentoring em saúde alimentar: “ Para vivermos de forma saudável, devemos nos espelhar em nossos antepassados, que se alimentavam de forma nutritiva e com uma quantidade menor de refeições por dia”. Com isso os nossos avós não sofriam de obesidade”. Segundo Mônica, o seu programa é dividido em 6 pilares, que consistem em:

  1. O primeiro pilar parte da Refeição Natural (low carb) com base em carne, ovos, frutas da estação, legumes e verduras; com o propósito de desintoxicar e/ou modificar a forma como se come buscando uma gastronomia aliada a saúde e sem aditivos químicos.
  2. O segundo pilar são os exercícios físicos, incentivando as pessoas a se movimentarem; consequentemente com o aumento da disposição e produzindo mais endorfinas que colaboram na perda do peso. A sugestão é que seja praticado qualquer tipo de esporte de sua preferência e que mude o estilo de vida sedentário.
  3. Além disso, o programa inclui o jejum natural que é alimentar-se de forma natural, apenas quando sentir fome, sendo as refeições ricas em nutrientes, sem carboidratos e alimentos processados.
  4. Vitamina D: é importante o contato com os raios solares e com a natureza. O corpo necessita de vitamina D alta para absorver o cálcio e o ferro; além de liberar a melatonina que auxilia no estágio de sono profundo. É necessária a absorção do sol nos horários permitidos para a saúde, sem o uso de filtros solares e óculos escuros, pois esses impedem a absorção da vitamina.
  5. Dormir bem: é essencial entrar no estágio de sono profundo, pois assim são produzidos os hormônios que auxiliam o corpo a ficar mais relaxado e sem stress. É através do sono que o organismo libera o hormônio GH responsável pela queima de gordura. As pessoas têm dormido muito tarde, o que tem dificultado a terem uma saúde perfeita.
  6. Regular o intestino: alguns especialistas acreditam que o intestino é um segundo cérebro, pois algumas doenças como a depressão estão relacionadas com a flora intestinal fraca. É necessário fortalecer a flora e eliminar os alimentos inflamatórios como o trigo, o glúten e a lactose, além de incluir alimentos probióticos (bactérias do bem que povoam a flora intestinal) e prebióticos (são os alimentos para as bactérias do bem).

 

Sugiro que para entender melhor as informações relatadas, basta participar do programa, que ensina como é possível mudar o estilo de vida e a alimentação de uma maneira saudável, mas sem perder o sabor e o prazer da boa mesa.

 

 

Antes e depois