InícioNotíciasPolíticaCovid-19: Damares, Onyx e Braga Netto falam sobre combate à pandemia

Covid-19: Damares, Onyx e Braga Netto falam sobre combate à pandemia

Neste momento, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves; o ministro da Casa Civil, Braga Netto; e o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni; participam de entrevista no Palácio do Planalto sobre ações de enfentamento à pandemia de coronavírus (covid-19) no Brasil. 

Acompanhe ao vivo

O ministro Braga Netto atualizou informações sobre algumas ações do governo federal. O Projeto Arrecadação Solidária recebeu mais de R$ 3,2 milhões que foram doados a mais de 3.817 pessoas físicas e jurídicas para ajudar afetados pela crise. Mais de 6,2 milhões de empregos foram preservados com o programa de emprego e renda. O governo federal contratou 592 profissional de saúde para atuarem em hospitais universitários. Pernambuco recebeu 109 desses profissionais. O governo federal autorizou a liberou R$ 250 milhões para a cobertura da tarifa social. Até o momento já foram disponibilizados 650 milhões para essa tarifa. Mais de 50 milhões de brasileiros foram beneficiados pelo auxílio emergencial. Desse total, cerca de 3.5 milhões de pessoas optaram por receber o auxílio de R$ 600 em 50 diferentes instituições bancárias. Ontem foram habilitados 592 novos leitos de UTI para atendimento exclusivo a pacientes da covid-19 em 15 estados e Distrito Federal, totalizando 3.236 leitos de UTI abertos desde o início de abril. O placar da vida mostra que, até ontem (6), mais de 51 mil brasileiros estão recuperados da covid-19 e mais de 65 mil estão em processo de recuperação. Ontem foram repatriados 90 brasileiros de Portugal, Suriname e Paquistão, totalizando a mais de 21 mil brasileiros repatriados desde o início da pandemia. 

A ministra Damares aunciou, semana passada, que cerca de 6 mil equipamentos de proteção individual (EPI) serão distribuídos para 78,2 mil pessoas idosas e 31,7 mil profissionais em mais de 6,2 mil instituições de acolhimento dessa população no país. Ela também enumerou as ações do governo voltada aos idosos, que somam R$ 3,96 bilhões ao longo do ano, incluindo a garantia do Benefício de Prestação Continuada (BPC) a 155,2 mil idosos que não se inscreveram no Cadastro Único e a aplicação da vacina contra a gripe em mais de 30 milhões de pessoas desse público-alvo.  

O calendário para pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, que será feito a partir da semana que vem, deverá ser divulgado até amanhã (8). A informação foi dada nesta quinta-feira (7) pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, em reunião virtual da comissão mista de deputados e senadores que acompanha as medidas do governo federal para o enfrentamento da covid-19.

O ministro da Cidadania adiantou aos parlamentares que a pasta vai publicar ainda hoje uma portaria que transferirá R$ 580 milhões para o Sistema Único de Assistência Social a serem usados por municípios. O dinheiro poderá ser aplicado na compra de equipamento completo de proteção individual para todos os trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS) dos municípios e de alimentos que serão distribuídos para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

O presidente Jair Bolsonaro, um grupo de ministros e empresários foram hoje (7) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para falar com o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, sobre a economia do país e a importância de flexibilizar a abertura do comércio, em meio às restrições das atividades e isolamento social causados pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

De acordo com o presidente-executivo do Instituto Aço Brasil e coordenador da Coalizão Indústria, Marco Polo de Mello Lopes, os industriais estão enfrentando uma crise profunda de demanda ocasionada pelo fechamento do comércio. “Se pudesse resumir e fazer uma caracterização, a indústria está na UTI e, para sair, precisa que ocorram as flexibilizações, de maneira que roda volte a rodar”, disse, após o encontro com Toffoli.

A retomada do crescimento da economia brasileira será principalmente com capital privado, afirmou hoje (7) o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, José Salim Mattar Júnior, em transmissão ao vivo feita pelo deputado Alexis Fonteyne (Partido Novo – SP).

De acordo com o secretário, há no mundo US$ 1,5 trilhão disponível para investimentos, principalmente para geração e distribuição de energia, infraestrutura, concessões e saneamento. “O que precisamos é atrair esse capital estrangeiro através de segurança jurídica, de facilidade de entrada de capital e saída. Acredito que podemos fazer a retomada do crescimento do Brasil principalmente com capital privado”, afirmou Salim Mattar.

O ministro da Saúde, Nelson Teich, disse hoje (7) que o governo não tem uma uma regra geral para todo o país sobre a necessidade do isolamento social. Segundo ele, diferentes medidas devem ser adotadas por estados e municípios a depender do avanço da covid-19 em cada local.

Teich, que assumiu a pasta da Saúde há cerca de 20 dias, participa de uma reunião da comissão externa da Câmara dos Deputados que debate ações preventivas contra a covid-19.

“A gente tem desde medidas mais simples, que vão passar principalmente por distanciamento social, higiene das mãos, uso de álcool em gel e das máscaras, até situações em que vai ter que ter o lockdown [fechamento total, confinamento]. O problema é que não dá para trabalhar essa discussão como se o lockdown fosse a essência de tudo”, disse o ministro, ao ser questionado sobre qual a orientação do governo sobre o isolamento social.

Redes Sociais

16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever

Últimas Notícias

Continue Lendo