Sobradinho II tem 50 mil metros de estradas rurais recuperadas

0
169
Serviços são executados pela Administração Regional de Sobradinho II, com equipamentos próprios e materiais doados | Foto: Divulgação

As estradas de áreas rurais de Sobradinho II passam por ações constantes de recuperação. Desde janeiro, 50 mil metros lineares de pistas já foram reparados para dar melhor trafegabilidade à comunidade e ao escoamento de produções da região, especialmente após a ação das chuvas. Lago Oeste, Vila Basevi, Sansão, Vila Rabelo, Polo de cinema e Parque Canela da Ema estão entre os principais pontos de trabalho.

Os serviços são executados pela Administração Regional de Sobradinho II, com equipamentos próprios e materiais doados. Segundo o gestor Alexandre Yanez, a recuperação das vias envolve reparos nas saídas d’água e colocação de material resistente.

“Fazemos um serviço de qualidade para que o reparo nos trechos, antes intransitáveis pelas chuvas, dure mais tempo, especialmente com a chegada da seca”, explica.

Ainda de acordo com Alexandre, o material é compactado de forma abaulada no centro, e a recuperação envolve a construção de peitos-de-pombo, de grandes quebra-molas para tirar a velocidade da água, de canaletas de saída e de bacias de contenção. “São vários serviços que fazem a estrada ficar melhor e mais durável”, completa.

Prioridades

Segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), mais da metade da área territorial de Sobradinho II é rural. “Como a área é muito grande, temos muita demanda, que chega por ouvidoria [telefone 162], por líderes comunitários e até mandadas para meu celular”, relata o administrador.

Para definir prioridades, são considerados pontos mais críticos e que dão acesso a equipamentos públicos como escolas e unidades básicas de saúde (UBSs). “A intenção é sempre assegurar o direito de ir e vir dos moradores e chacareiros, além de contribuir no escoamento da produção da região”, acrescenta.

| Foto: Divulgação

O pastor Laerte Viana, 52 anos, mora no Setor Habitacional Contagem, na região da Canela de Ema, há oito anos. Ele passa diariamente pela estrada não pavimentada que recebe ações recorrentes de recuperação.

“Convivemos com poeira, buracos, lama. A administração vem e passa as máquinas para resolver por algum tempo, o que ajuda. É um trecho importante para investimentos, por onde passam coletivos, ambulâncias e viaturas”, observa.